Quando um estudante se forma na faculdade de direito e passa na prova da OAB, o seu primeiro desejo é abrir o seu próprio escritório de advocacia. Depois de tantos anos estudando, realizando provas e se especializando em algum segmento, é hora de colocar tudo que você aprendeu em prática, fazendo com que todo o suor e a jornada ganhem um novo rumo. 

Dessa forma, é natural que a afobação tome conta, e no dia seguinte, ao passar da prova, o recém-advogado já queira abrir a sua própria advocacia, mas é preciso ter um pouco de calma, assim como uma lanchonete não pode sair fazendo lanches sem antes ter o seu balcão refrigerado inox e outros utensílios de cozinha, é preciso seguir algumas etapas antes de mergulhar de cabeça na advocacia. 

Para te ajudar durante essa sua jornada que marca uma nova etapa da sua vida, nós decidimos separar algumas dicas e um tutorial de como você pode abrir sua própria advocacia, quer saber mais sobre? Então vamos lá!

 

Obtenha um registro junto a OAB

O primeiro passo para abrir seu próprio escritório de advocacia é obter um registro junto a Organização dos Advogados do Brasil, ou seja, você deve passar no Exame da Ordem e tirar a sua carteirinha oficial de advogado.

Mesmo que você seja bacharel em direito, sem o registro da OAB, você não é considerado como advogado, após passar desse passo inicial, é hora de correr atrás do seu CNPJ, juntando tanto o registro quanto à documentação jurídica, você já tem basicamente o necessário para abrir seu próprio escritório. 

 

Defina o nicho que deseja atuar

Após passar pela parte documental, é hora de começar a definir certos pontos, e o primeiro dele é qual o nicho que você vai atuar, como todos sabem, assim como existem vários tipos de válvulas como a válvula direcional, de retenção, de segurança e etc, a advocacia possui diversos segmentos diferentes, como o trabalhista, penal, civil, tributário e por aí vai. 

Dessa forma, é preciso você definir em qual área sua advocacia será especialista, essa escolha pode estar diretamente relacionada a sua afinidade ou sua habilidade, durante a faculdade, estudantes de direito sempre costumam se “apegando” mais em certos nichos, o que faz com que estejam inclinados a realizarem determinadas escolhas. 

Procure pesquisar bem o mercado em que você deseja estar inserido, veja como é o público e a concorrência nessa área, e busque uma definição colocando na balança a afinidade com as oportunidades mercadológicas. 

 

Escolha se quer ser sozinho ou ter sócios

Outro ponto que você deve se atentar antes de abrir seu escritório é se você irá atuar sozinho ou terá sócios, essa escolha muda não só a sua rotina, mas o tipo de empresa que você irá criar, afinal, sozinho pode ser Sociedade Unipessoal de Advocacia, também conhecido como SUA.

Lembrando que, advogados não podem ser MEIs, dessa forma, se for seguir carreira solo, o SUA acaba sendo a melhor opção. Já se você for ter sócios, a Sociedade Simples de Advocacia é sem dúvidas, o melhor negócio. 

Cada uma delas possui suas particularidades, como o nome da empresa que com sócios, costuma pegar a nomenclatura de ambos, a divisão da parte financeira, e a variedade de nichos que é possível quando ocorre uma associação, já sozinho podemos destacar o Simples Nacional para advogados que possui inúmeros benefícios. 

 

Monte um planejamento financeiro e de infraestrutura

Com todos os tópicos acima definidos é hora de pensar na estrutura do seu escritório de advocacia, o primeiro ponto é montar um planejamento financeiro, abrir uma empresa custa no Brasil custa, em média, R$ 1,5 mil reais, mas é claro que, precisa adicionar esse cálculo, os custos iniciais e o valor para que você mantenha as portas abertas por pelo menos três meses. 

Calcule tudo que for necessário e deixe reservado até mesmo um dinheiro para caso ocorra algum imprevisto, como a necessidade de realizar o conserto de bomba. Após a parte financeira, é hora de ver a infraestrutura.

Sua atuação será em um coworking? Escritório em casa? Alugará uma sala em um prédio ou construirá seu próprio espaço? Quantas salas você vai ter? E a recepção? Tudo isso precisa ser analisado com cautela, avaliando as possibilidades e selecionando a melhor opção. 

Depois de tudo isso, podemos afirmar que você está pronto para abrir o seu próprio escritório de advocacia, bora encarar esse novo desafio?

Comente abaixo o que achou do texto de hoje e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares caso tenha gostado do conteúdo, até a próxima!

Esse artigo foi escrito por Iago Lourenço, criador de conteúdo do Soluções Industriais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *